Seja um voluntário

Clique e cadastre-se, muitas instituições de Londrina precisam de Voluntários:

 

voluntario

 

 

O QUE É SER UM VOLUNTÁRIO?

O trabalho voluntário vem assumindo cada vez mais um expressivo papel na sociedade brasileira.  Há alguns anos, ao se pensar em ações voluntárias, automaticamente pensava-se em movimentos religiosos ou trabalhos na área da saúde. Sem dúvida essas contribuições eram e continuam sendo importantes, mas foi a partir da década de 90, quando surgiu o movimento Ação da Cidadania Contra a Miséria e pela Vida, liderado por Herbert de Souza, o Betinho, que a consciência solidária da sociedade passou a ter visibilidade, traduzindo um esforço voluntário de amplos setores nacionais, sobre tudo os anônimos.

O voluntário é aquele que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade. Segundo a definição das Nações Unidas, “o voluntário é o jovem ou adulto que, devido a seu interesse pessoal e seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividade, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos…”. Assim, ele realiza o trabalho gerado pelo impulso solidário, atendendo tanto às necessidades do próximo quanto às suas próprias motivações pessoais.

EXEMPLO DE TRABALHO VOLUNTÁRIO:

Rafaela Negrão - estudante de nutrição (Unifil) - voluntária no Cj Hernani Moura Lima

“É sempre bom fazer o bem, ser solidário e participativo com as pessoas à sua volta e com a comunidade. São pequenas atitudes que, além de ajudar o próximo, trazem benefícios para si próprios. Doar um pouquinho do seu tempo para ajudar ao próximo não tem preço!” (Rafaela Negrão)

Rafaela Negrão, estudante de nutrição da Unifil e voluntária através do CVL no Cj Hernani Moura Lima. Educadora na área de alimentação saudável na creche Espaço Criança, e professora/palestrante na área de culinária saudável, prática e econômica do projeto comunitário Shalom. Está montando um livro de receitas nutritivas e saudáveis, com reaproveitamento de alimentos e com informações nutricionais, onde disponibilizará à toda comunidade. Faça como a Rafaela, doe um pouquinho do seu tempo, talento e trabalho em prol de alguém ou comunidade!

Pense na sua comunidade/bairro! Quais as necessidades? Que projetos já são realizados no seu bairro? Convoque a comunidade, as entidades, as escolas, igrejas, empresas e monte um projeto social voluntário no seu bairro/comunidade. Assista a este vídeo com 7 passos para montar um projeto simples, fácil, rápido e mãos a obra!

a

Vá ao link “INSTITUIÇÕES” e procure uma vaga disponível em algumas das Ongs e Instituições que procuram voluntários para atuar nas mais diversas áreas. Com certeza uma das vagas disponíveis se encaixará a você! Caso você não more na cidade de Londrina e região, disponibilizamos neste mesmo link, vários sites que contém vagas para voluntários em todos os estados do Brasil e inclusive vagas para o exterior. Consulte as vagas e seja um voluntário! No link “PALESTRAS”, baixe o Manual do Voluntário e obtenha mais informações sobre como ser um voluntário!

* Visite a página SEJA UM VOLUNTÁRIO NA SUA COMUNIDADE/BAIRRO, e assista videos de projetos que deram certo e têm mudado vidas!

ÁREAS PARA TRABALHO VOLUNTÁRIO:

  • EDUCAÇÃO/CULTURA
  • ESPORTE/LAZER
  • SAÚDE
  • ASSISTÊNCIA SOCIAL E DEFESA DOS DIREITOS
  • MEIO AMBIENTE
  • OPORTUNIDADE DE EMPREGO E RENDA
  • ATIVIDADES DE APOIO TÉCNICO E ADMINISTRATIVO
  • VOLUNTARIADO ON-LINEa

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O TRABALHO VOLUNTÁRIO:a

1. Posso escolher onde quero atuar?

Sim, é você quem escolhe onde atuará voluntariamente. Depois de elencar a entidade beneficente, basta que o voluntário entre em contato com o coordenador de voluntários da organização selecionada, agende uma visita para conhecer a instituição e converse sobre a possibilidade da realização de seu trabalho voluntário.

2. Qualquer pessoa pode ser voluntária?

Sim, basta ter vontade de realizar uma ação voluntária e disponibilizar algum tempo para isso.

3. A ação voluntária é somente presencial?

Há possibilidade de optar por ações /trabalhos que venham a ser desenvolvidos à distância, mas esta possibilidade só é possível dependendo da atividade e da necessidade da instituição.

4. Qual a idade mínima para ser voluntário?

Embora a Lei do Serviço Voluntário não mencione idade mínima, a recomendação é que o trabalho voluntário seja realizado a partir dos 16 anos, com a autorização dos pais ou responsáveis que devem assinar um termo de adesão ao serviço voluntário. De qualquer forma, as ações solidárias podem ser incentivas em qualquer idade.

5. Quanto tempo preciso disponibilizar para o trabalho voluntário? Posso escolher dia e horário?

É o voluntário quem define o tempo que pode ou quer disponibilizar, em concordância com a necessidade da organização escolhida. Combine esses horários diretamente com o coordenador de voluntários da entidade. É importante ressaltar, entretanto, que a maioria das entidades funciona de segunda a sexta-feira, em horário comercial. Normalmente o voluntário doa entre quatro e oito horas semanais.

6. Posso alterar minha programação mesmo depois de ter me comprometido com a entidade em determinados dias e horários?

Sim, é possível que você mude sua agenda. Mas é essencial que a mudança seja previamente comunicada ao coordenador de voluntários da entidade, porque uma vez estabelecida a parceria, a instituição conta com seu trabalho que passa a fazer parte da programação, dos desafios, das metas a serem atingidas pela organização. Sua ausência, se não comunicada previamente, certamente comprometerá o andamento dos trabalhos.

Você não é remunerado, mas tem um compromisso com a entidade e ela com você!

7. Como posso escolher a instituição?

Para essa escolha leve em consideração aspectos como o quanto você se identifica com o segmento de atuação e o serviço prestado pela entidade, seu interesse pelo trabalho solicitado pela instituição, a facilidade de acesso ao local e a sua disponibilidade quanto aos horários exigidos, etc.

8. Qual o trabalho que posso realizar?

A atuação voluntária precisa ser prazerosa, trazer satisfação pessoal. Procure trabalhar no que mais lhe agrada: cantar, contar histórias, cozinhar, conversar, ouvir, ensinar, praticar esporte, mobilizar, escutar, organizar… As possibilidades são inúmeras.

9. Posso conhecer a instituição antes?

Esse conhecimento prévio é importante para que você possa conhecer não apenas o espaço físico, mas também a proposta de trabalho, o planejamento das atividades e a equipe técnica responsável que atua na entidade.

10. As instituições oferecem alguma ajuda de custo?

Normalmente não é oferecido qualquer tipo de ajuda de custo. Em algumas situações, a Instituição pode, dentro de suas possibilidades, oferecer ao voluntário algum auxílio para transporte, mas isto deve ser pactuado no início do trabalho e registrado no Termo de Adesão ao Serviço Voluntário.

11. Preciso assinar algum contrato?

Todo voluntário deve assinar um Termo de Adesão com informações referentes à disponibilidade de dias e horários de trabalho e ainda detalhes das atividades que serão desenvolvidas pelo voluntário dentro da instituição, conforme preconiza a Lei do Voluntariado. Esse documento deve ser assinado pelo voluntário e por um representante da instituição na presença de duas testemunhas. Ao se desligar da entidade, é necessário que um termo de desligamento seja elaborado e assinado também pelo voluntário e por um representante da organização, conforme consta na mesma lei.

12. É preciso ter alguma formação profissional para ser voluntário?

Não. Há um trabalho voluntário adequado para cada pessoa. Algumas vagas exigem conhecimento técnico específico, mas, em geral, basta ter vontade de ajudar para ser voluntário.

TERMO DE ADESÃO

Nome:_________________________________________________
Identidade: _____________________________________________
CPF: __________________________________________________
Endereço:______________________________________________
Bairro: ________________________________________________
CEP: ___________________Tel: ____________________________
Tipo de serviço que o voluntário vai prestar:____________________
Instituição onde o voluntário vai prestar o serviço:_______________
Nome: _________________________________________________
End.: __________________________________________________
CNPJ: __________________________________________________

Declaro que estou ciente e aceito os termos da Lei do Serviço Voluntário, n° 9.608, de 18 de fevereiro de 1998.

Londrina: _______ de _____________ de ________

Assinatura do voluntário___________________________

a

OUTRO MODELO DO TERMO DE ADESÃO AO TRABALHO VOLUNTÁRIO:

Termo de Voluntário – (Serviço Voluntário – Lei nº 9.608/98)

a

Nome da Instituição:

Endereço:

Área de atividade:

Nome do voluntário:

Documento de identidade:                                                                                            CPF:

Endereço:                                                                                                                       Telefone:

Referências pessoais:

a

O trabalho voluntário a ser desempenhado junto a esta instituição, de acordo com a Lei nº 9.608 de 18/02/98 é atividade não remunerada, com finalidades: assistenciais, educacionais, científicas, cívicas, culturais, recreativas, tecnológicas, outras… e não gera vínculo empregatício nem funcional, ou quaisquer obrigações trabalhistas, previdenciárias e afins.

a

Trabalho voluntário na área de:

Tarefa específica:

Duração: até

Dias e Horários:

Resultados esperados:

a

Este contrato é válido pelo período de duração citado acima, a partir da data de sua assinatura, sendo prorrogável com assinatura de Termo Complementar. Declaro estar ciente da legislação específica sobre Serviço Voluntário e que aceito atuar como Voluntário nos termos do presente Termo de Adesão.

Londrina, __________ de 2.012

a

_______________________________________

     Assinatura do voluntário, RG e CPF

a

Testemunhas: _________________         _____________________

Assinatura, RG e CPF

a

De acordo:__________________________________

Superintendente/Coordenador da Instituição

a

LEGISLAÇÃO:

Lei do Terceiro Setor = Lei Federal 9790/99 (Lei das OSCIPS)
Lei do Voluntariado = Lei Federal 9608/98

Muitas vezes, o trabalho voluntário pode ser realizado dentro de uma entidade atuante nos diferentes setores da área social e comunitária. No entanto, nem todas as instituições abrem suas portas para esse tipo de trabalho.

Via de regra, isso acontece por dificuldades da propia instituição em se organizar adequadamente para receber dos voluntários, decorrente de experiências negativas ou dificuldades legais que tiveram em seu relacionamento com voluntários.

Esse problema foi equacionado com a aprovação pelo Congresso Nacional, em fevereiro de 1998, da Lei sobre o Serviço Voluntário. Essa lei tem dois grandes méritos:

– reconhecendo a especificidade do trabalho voluntário, da um estatuto próprio a uma realidade que, no Brasil, ainda é pouco conhecida e valorizada;

– estabelecendo claramente a distinção entre voluntário e empregado, a lei protege as organizações contra a ação inescrupulosa de alguns poucos que se apresentavam e trabalhavam como voluntários para, em seguida, tentar forjar um vínculo empregatício com a instituição com a qual colaboravam.

Portanto, para seu conhecimento, aqui estão a Lei do Serviço Voluntário e o Termo de Adesão, transcritos a seguir.

Lei n° 9.608, de 18 de fevereiro de 1998
Dispõe sobre o serviço voluntário e dá outras providências

Art. 1° – Considera-se serviço voluntário, para fins desta Lei, a atividade não remunerada, prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza, ou a Instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade. Parágrafo único. O serviço voluntário não gera vínculo empregatício, nem obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim.

Art. 2° – O serviço voluntário será exercido mediante a celebração de Termo de Adesão entre a entidade, pública ou privada, e o prestador do serviço voluntário, dele devendo constar o objeto e as condições de seu exercício.

Art. 3° – O prestador de serviço voluntário poderá ser ressarcido pelas despesas que comprovadamente realizar no desempenho das atividades voluntárias. Parágrafo único. As despesas a serem ressarcidas deverão estar expressamente autorizadas pela entidade a que for prestado o serviço voluntário.

Art. 4° – Esta Lei entraem vigor na data de sua publicação.

Art. 5° – Revogam-se as disposições em contrário.

Lei assinada pelo Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, em Brasília, no dia 18 de fevereiro de 1998).

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: